Incêndio florestal afectou área significativa da Citânia
04 de Agosto, 2015

Um incêndio florestal no final de Julho afectou uma área significativa do interior da Citânia de Briteiros. De acordo com a Direção da Sociedade Martins Sarmento, no sector Norte do monumento o incêndio chegou à muralha interior, tendo passado pela quarta, terceira e segunda muralhas. Nesta zona, foi pasto das chamas uma pequena área de ruínas escavadas nas campanhas da década de 1950, coordenadas pelo Coronel Mário Cardozo. Na encosta Sul, o incêndio aflorou a terceira muralha, que é, neste flanco, o limite do sitio arqueológico. Contudo, a zona visitável da Citânia de Briteiros, correspondente à área envolvida pela muralha interior e à encosta nascente, não foi afetada por este incêndio, à exceção de um pequeno trecho na zona Nordeste. De referir que as elevadas temperaturas do fogo provocam o sobreaquecimento das superfícies rochosas, acelerando a sua erosão e provocando mesmo o estalamento, quer das pedras que integram as estruturas arqueológicas, quer dos afloramentos graníticos com gravuras rupestres. A Sociedade Martins Sarmento tomará algumas medidas de minimização na zona ardida onde existem estruturas arqueológicas expostas.

Informação em destaque
Professores da ESFH produzem clampes para o Hospital de Guimarães
02 de Abril, 2020
COVID-19: Guimarães regista 131 casos confirmados
02 de Abril, 2020
Área Dedicada à COVID-19 no Centro de Saúde da Amorosa
01 de Abril, 2020
Covid-19: CMG cria linha de apoio psicológico
01 de Abril, 2020
Plano Preventivo: CIM desagradada por Norte não ser prioridade
01 de Abril, 2020
IPCA e empresas parceiras produzem 10 mil viseiras
01 de Abril, 2020
Publicidade