“Não me peçam milagres porque não sou NªSª de Fátima”
13 de Junho, 2013

A reunião de executivo camarário desta quinta-feira ficou marcada pelas queixas de um grupo de moradores do Centro Histórico que se dizem desesperados por causa do barulho durante a noite, os maus cheiros e a insegurança que se vive naquela zona da cidade. O Presidente da Câmara ouviu o desespero dos moradores e comprometeu-se a desenvolver esforços para tentar pelo menos minimizar os problemas dos moradores, admitindo contudo que “tentar encontrar um equilíbrio não é tarefa fácil”. Magalhães disse mesmo para não lhe pedirem “milgares” porque “não sou a Nossa Senhora de Fátima, nem estou vestido de branco”. Já no final da reunião, em declarações aos jornalistas, o edil vimaranense reconheceu a ligitimidade para as preocupações dos moradores, mas fez questão de referir que além de “um Centro Histórico habitável é importante ter um Centro Histórico atractivo e dinâmico”. Avisou no entanto que os excessos serão combatidos porque os moradores têm o direito a ter “paz e sossego” a partir de uma certa hora. O edil vimaranense não precebe contudo o “timming” para estas queixas e diz ser impossível não pensar nesta questão como se tratando “de uma estratégia política típica de período pré-eleitoral”.

Informação em destaque
Projeto do Município concorre ao Prémio de Boas Práticas de Participação
18 de Fevereiro, 2018
«Histórias de Cântaros e Cantarinhas» na Casa da Memória
18 de Fevereiro, 2018
Cientistas falam de construções antissísmicas e tratamento do cancro
17 de Fevereiro, 2018
Quarteto de Cordas de Guimarães vai atuar na Polónia
15 de Fevereiro, 2018
CMG aprova regulamento para Centro de Recolha Oficial
14 de Fevereiro, 2018
Fim-de-semana da Lampreia em Barcelos
16 de Fevereiro, 2018
Publicidade