“Não me peçam milagres porque não sou NªSª de Fátima”
13 de Junho, 2013

A reunião de executivo camarário desta quinta-feira ficou marcada pelas queixas de um grupo de moradores do Centro Histórico que se dizem desesperados por causa do barulho durante a noite, os maus cheiros e a insegurança que se vive naquela zona da cidade. O Presidente da Câmara ouviu o desespero dos moradores e comprometeu-se a desenvolver esforços para tentar pelo menos minimizar os problemas dos moradores, admitindo contudo que “tentar encontrar um equilíbrio não é tarefa fácil”. Magalhães disse mesmo para não lhe pedirem “milgares” porque “não sou a Nossa Senhora de Fátima, nem estou vestido de branco”. Já no final da reunião, em declarações aos jornalistas, o edil vimaranense reconheceu a ligitimidade para as preocupações dos moradores, mas fez questão de referir que além de “um Centro Histórico habitável é importante ter um Centro Histórico atractivo e dinâmico”. Avisou no entanto que os excessos serão combatidos porque os moradores têm o direito a ter “paz e sossego” a partir de uma certa hora. O edil vimaranense não precebe contudo o “timming” para estas queixas e diz ser impossível não pensar nesta questão como se tratando “de uma estratégia política típica de período pré-eleitoral”.

Informação em destaque
Acidente provoca ferimentos a casal em Polvoreira
30 de Abril, 2017
Grupo Folclórico de S. Torcato celebra 60 anos com homenagem
30 de Abril, 2017
2º eliminatória do Concurso de Bandas Emergentes do 'Sons à Margem'
29 de Abril, 2017
Convívio assinala Dia Internacional do Jazz
30 de Abril, 2017
Executivo Vimaranense reúne esta quinta-feira
27 de Abril, 2017
Julgado Subcomissário da PSP que agrediu adepto do Benfica
29 de Abril, 2017
Publicidade