Bacias de retenção em Guimarães são exemplo nacional
23 de Fevereiro, 2016

Mais de 2 milhões de metros cúbicos de água foram regulados, até agora, nas três bacias de retenção construídas há dez meses em meio urbano pela Câmara Municipal de Guimarães.

A análise do valor (2.214.000m3 de água) refere-se ao período entre 01 de maio de 2015 e 17 de fevereiro de 2016, correspondendo ao enchimento de cerca de 2.800 piscinas convencionais, com 25 metros de comprimento.

Só nos primeiros 48 dias de 2016, desde o início deste ano até 17 de fevereiro, choveu mais de metade do que nos últimos oito meses do ano passado. Entre maio e dezembro de 2015, passaram pelas bacias de retenção de Guimarães 1 milhão e 320 mil metros cúbicos de água, enquanto em 2016, em apenas um mês e meio, foram contabilizados 894 mil metros cúbicos de água.

Até ao momento, o dia de maior carga aconteceu a 15 setembro de 2015, com 196 mil metros cúbicos equivalentes a 7 ciclos de enchimento e esvaziamento, sendo a capacidade total das três bacias de 25 mil e 500 metros cúbicos. Por sua vez, janeiro de 2016 foi o mês com maior atividade, com um total de 558 mil metros cúbicos de água, equivalentes a 16 ciclos.

O recurso à engenharia natural na construção das bacias teve como principal objetivo o melhoramento e a manutenção da função hidráulica da Ribeira da Costa, constituindo uma solução para evitar cheias com a criação de três bacias de retenção, com a função de redução do caudal e velocidade das águas da Ribeira de Couros, diminuindo, desta forma, a possibilidade de inundações da zona baixa da cidade.

Informação em destaque
Grupo Folclórico de Souto celebra 60 anos
19 de Maio, 2019
Confraternização de Ponte a S. Torcato realiza-se domingo
19 de Maio, 2019
AVCPV constrói ‘passadeira solidária’
19 de Maio, 2019
Festas em honra de Nossa Senhora de Fátima - Tabuadelo
18 de Maio, 2019
Eleições Europeias: ações de campanha em Guimarães
18 de Maio, 2019
Prémio Príncipe da Beira com candidaturas abertas
19 de Maio, 2019
Publicidade