Bacias de retenção em Guimarães são exemplo nacional
23 de Fevereiro, 2016

Mais de 2 milhões de metros cúbicos de água foram regulados, até agora, nas três bacias de retenção construídas há dez meses em meio urbano pela Câmara Municipal de Guimarães.

A análise do valor (2.214.000m3 de água) refere-se ao período entre 01 de maio de 2015 e 17 de fevereiro de 2016, correspondendo ao enchimento de cerca de 2.800 piscinas convencionais, com 25 metros de comprimento.

Só nos primeiros 48 dias de 2016, desde o início deste ano até 17 de fevereiro, choveu mais de metade do que nos últimos oito meses do ano passado. Entre maio e dezembro de 2015, passaram pelas bacias de retenção de Guimarães 1 milhão e 320 mil metros cúbicos de água, enquanto em 2016, em apenas um mês e meio, foram contabilizados 894 mil metros cúbicos de água.

Até ao momento, o dia de maior carga aconteceu a 15 setembro de 2015, com 196 mil metros cúbicos equivalentes a 7 ciclos de enchimento e esvaziamento, sendo a capacidade total das três bacias de 25 mil e 500 metros cúbicos. Por sua vez, janeiro de 2016 foi o mês com maior atividade, com um total de 558 mil metros cúbicos de água, equivalentes a 16 ciclos.

O recurso à engenharia natural na construção das bacias teve como principal objetivo o melhoramento e a manutenção da função hidráulica da Ribeira da Costa, constituindo uma solução para evitar cheias com a criação de três bacias de retenção, com a função de redução do caudal e velocidade das águas da Ribeira de Couros, diminuindo, desta forma, a possibilidade de inundações da zona baixa da cidade.

Informação em destaque
ACIG promove sessões colectivas de Mentoring e Coaching
24 de Setembro, 2017
Casa da Memória vence Prémio Europeu de Turismo Cultural Sustentável
23 de Setembro, 2017
Bombeiros de Guimarães recrutam novos voluntários
23 de Setembro, 2017
Filme "Paterson" para ver no CCVF
24 de Setembro, 2017
Domingo: Agenda de Campanha
24 de Setembro, 2017
Êxito no Passeio de Bicicleta “Guimarães à noite”
24 de Setembro, 2017
Publicidade