Domingos Bragança aponta o caminho de uma forte consciência ecológica
04 de Maio, 2019

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães apontou esta sexta-feira, 03 de maio, o caminho traçado em Guimarães na área da sustentabilidade, destacando o “sonho” de ver “um território a viver em harmonia com a natureza”. Domingos Bragança deixou esta mensagem na sessão sobre “Alterações Climáticas e Cidades Resilientes” que contou com a presença de José Mendes, Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, numa organização da Ordem dos Engenheiros – Região Norte. Domingos Bragança disse que o território de Guimarães “é uma referência na área ambiental”, no seguimento de uma estratégia assumida em 2013 aquando a decisão da candidatura a Capital Verde Europeia. “Ficamos em quinto lugar entre as melhores cidades europeias, mas o importante é o caminho que estamos a fazer e nesse sentido e construímos a Estrutura de Missão 2030 que prossegue este trabalho, com o apoio da Universidade do Minho e UTAD, envolvendo ainda mais de 400 associações no Conselho Consultivo. Queremos uma cidade e um território que tenha em conta os valores ambientais”, sublinhou o Presidente da Câmara de Guimarães. “É necessário criar condições físicas no território para a mobilidade suave, ter uma forte consciência ecológica e privilegiar a economia circular. Temos de reutilizar tudo”, vincou Domingos Bragança na abertura desta sessão. O Secretário de Estado, José Mendes, apresentou o “Roteiro da Neutralidade Carbónica 2050” e “Plano Nacional Energia Clima 2030”, que visa a redução das emissões de gases com efeito de estufa por forma a que o balanço entre as emissões e as remoções da atmosfera seja nulo em 2050. O Governante deixa um alerta para o facto de “ainda estão por perceber os verdadeiros impactos nas alterações climáticas” e mencionou a necessidade de atuar em diferentes segmentos como a Energia, Indústria, Resíduos e Mobilidade. Este seminário incidiu na discussão sobre a redução dos fatores de risco em relação aos acidentes e as catástrofes – naturais ou tecnológicas. Em representação da Ordem dos Engenheiros – Região Norte, António Carlos Rodrigues destacou que “as cidades devem ser ecossistemas protegidos” e focou a importância de respostas às mudanças climáticas. O Presidente da Ordem dos Engenheiros, Poças Martins, sublinhou que “nos dias de hoje a engenharia tem de conviver com as forças da natureza”. Esta sessão teve lugar no Laboratório da Paisagem, com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães e Escolas de Engenharia e Arquitetura da Universidade do Minho.

Informação em destaque
Irmandade da Penha celebra festa da padroeira
21 de Julho, 2019
Fase II de obras no Serviço de Urgência do HSO
21 de Julho, 2019
Terra – ciclo de músicas do mundo
20 de Julho, 2019
Exposição ‘Avé Ave’ de Nuno Machado
21 de Julho, 2019
Reunião do Executivo realiza-se esta quinta-feira
18 de Julho, 2019
Encontro de Folclore na Vila de Caldas das Taipas
21 de Julho, 2019
Publicidade